Estação Black: Respeito é para quem tem

Estação Black: Respeito é para quem tem

Estação Black: Respeito é para quem tem – Por Marcelo Kurts

Salve ! Estação Black no ar !

Já dizia RZO que “quem é é, quem não é cabelo avoa”. 

No papo de hoje falaremos sobre desrespeito, uma palavra que nunca fez parte do vocabulário da cultura Hip Hop, mas que nessa semana me fez deparar com uma polêmica causada por um grupo que faz parte da geração ostentação do Rap brasileiro.

Num vídeo rotineiro de internet, membros do grupo Recayd Mob ostentavam poder aquisitivo e um deles citou estar rico há pouco tempo fazendo rap, enquanto que outros que estão há 30 anos, não.

Poderia ser um vídeo normal para expor sua conquista e exaltar a vitória em ter conquistado algo em prol do Rap, porém esses jovens desprovidos de postura e respeito desrespeitaram aqueles que pavimentaram ao longo de décadas a estrada do Hip Hop, para a geração emorap se promover na internet desmerecendo pessoas que vivem a cultura Hip Hop.

O grande problema dessa geração Z é que, eles têm tudo nas mãos, não precisam batalhar, pesquisar, construir, conquistar, o que não lhes dá o direito de se acharem superiores.

Não estou aqui para condenar esses jovens, pois entendo que o Hip Hop precisa de continuidade e inovação, mas tem que haver sensatez e reconhecimento de quem começou, sonhou, batalhou e deixou o Hip Hop conhecido mundialmente.

Muitos se ofenderam, se colocaram, se opuseram, mostraram suas visões. Não vou citar nomes de A ou B, pois a intenção não é gerar mais polêmica e sim tentar mostrar aos leigos que Hip Hop não é moda nem brincadeira.

Eu, Marcelo, apelidado DJ Kurts, sou professor de História, artista do Rap, escritor, diretor artístico de uma gravadora de Rap, músico gaitista, falo espanhol, inglês além de tocar em festas desde 1992. Não enriqueci financeiramente, mas tudo o que faço é graças ao Hip Hop que me guiou ao caminho do conhecimento, da honestidade, dos sonhos, da atitude, do respeito às mulheres, idosos, crianças, LGBTQIA +. O Rap me fez homem, não me deu grana, mas me fez traçar um caminho que o dinheiro não compra. 

Nem deveria estar escrevendo isso, mas sou mais um sonhador que vive essa cultura 24 horas sem parar e por meio desse texto espero mostrar para essa geração que o respeito prevalece quando for falar sobre aqueles que são os mestres do movimento Hip Hop.

Estação Black: Respeito é para quem tem

Estação Black: Respeito é para quem tem


Expedição CoMMúsica

2 thoughts on “Estação Black: Respeito é para quem tem

  1. Denise says:

    Certíssimo DJ Kurts, Respeito é pra quem tem✊🏾vamos respeitar a caminhada e valorizar o movimento HIP HOP que atravessa gerações 😉

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com
%d blogueiros gostam disto: